A VELHA CASA DE MADEIRA

“Naquela casa de madeira

Morava uma velhinha

Que vivia, coitadinha

Sem ninguém para conversar (…)

——

Texto e Encenação José Caldas

——

Classificação etária m/ 3 anos   Duração 60min.

Certo dia, aparecendo do nada, um velho vem contar-nos acerca da sua infância, quando encontrou, escondida na sua casota, uma velha rabugenta.

A velha resmunga sozinha: nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem… e ignora a criança, a curiosidade daquele menino invade a sua vida tranquila e isolada, entregue a fazer e refazer os fios no seu fuso, satisfeita com os animais que a cercavam e a acompanhavam naquela melodia: nhem-nhem-nhem-nhem-nhem-nhem…

A cada dia que volta, a velhinha atira-lhe algo para o afastar – um nabo, uma maçã, um rolo de fios – está feita a ligação. O rapaz e um amigo seguem o fio que lhes abre enfim a porta da velha casa de madeira….

Começa então uma longa conversa com a velhinha. Todos os dias pela manhã lá estavam as crianças e todos os dias pela manhã a velha rabugenta lá esperava por elas. A velha conta o seu passado, e cada história é uma viagem na máquina do tempo.

Texto e Encenação José Caldas Cenografia, Adereços e Figurinos Andrew Purvin e Ruby Gibbens Direção Musical Mary Keith Desenho de Luz Paulo Duarte Interpretação Abel Duarte, Paulo Duarte e Rebeca Cunha Agradecimento Jorge Braga

Fotografias e vídeo: Lionel Balteiro