MENTIRA A QUANTO OBRIGAS

Novas Datas

OUTUBRO 16

Duração do Espectáculo

Apro. 60 minutos

Classificação Etária

M/6

Teatro de rua

SINOPSE

Francisco gostava de caçar, de andar pela serra, entre as fragas e o mato. Chegava mesmo a falar com os passarinhos.
António era um sonhador, um poeta. Gostava de pescar e chegava a falar com os peixes.
Tinham duas coisas em comum: eram irmãos e eram pastores.
Tinham tudo para ser felizes: o ar puro, a natureza, a frugalidade, as vacas e o amor das ninfas das fontes.
Tudo, não, quase tudo, porque muitas vezes faltava-lhes a rede no telemóvel.
Um dia, o pai disse-lhes: esta casa e tudo isto que a vossa vista alcança é terra nossa e será vossa um dia.
Era mentira, claro. O pai já estava muito velhinho, mas eles acreditaram, porque toda a gente acredita naquilo que gosta de acreditar.
E desta mentira original mais e maiores mentiras nasceram.

EQUIPA
Texto José Carretas
Encenação Paulo Duarte
Cenografia e figurinos Ana Limpinho
Direção Musical Ana Bento
Interpretação Abel Duarte, Carlos Adolfo, Eduardo Correia, Maria Teresa Barbosa e Sandra Barreto
Desenho de Luz Paulo Duarte
Direção de Cena Abel Duarte
Direção de produção e comunicação Paula Teixeira
Costureiras Capuchinhas Crl e Maria do Carmo Félix
Construção de cenários e operação técnica Carlos Cal
Assistência à construção de cenários e figurinos Maria Conceição Almeida
Assistência de produção e comunicação Marta de Baptista
Fotografia e Vídeo Lionel Balteiro

🖇️ DOSSIER

cleansafe_Teatro Montemuro
rp-cultura
castro daire logo