HISTÓRIAS QUE DÃO PARA VER

REDE CULTURAL VISEU DÃO LAFÕES

—-

Texto João Luís Oliva Encenação Paulo Duarte

—-

22 e 23 Março Mangualde Igreja da Conceição
29, 30 e 31 Março Castro Daire Centro de Interpretação e Informação de Montemuro e Paiva
05 e 06 Abril Penalva do Castelo Casa da Ínsua
12 e 13 Abril Sátão Biblioteca Municipal
08 e 09 Novembro Nelas [Local a definir]

Na festa de apresentação e prova de uma especial “reserva” da empresa M.A.S. Vinhos, Sara Pereira, a administradora, reencontra o seu especial amigo, Afonso, agora professor de Filosofia numa Universidade, mas “velho” conterrâneo.

Num fundo em que se encaram os aspetos relacionados com a produção vinícola na paisagem cultural onde a peça é apresentada, emerge a importância simbólica e mágica do vinho, bem como uma teia de afetos entre as personagens que, de forma direta ou indireta, intervêm na sua criação: o inequívoco e mútuo apego de Sara a Afonso; a problemática e crítica relação entre Virgínia e Prazeres (filha e mãe) e o carinho que esta tem por Afonso; a cumplicidade de Sara com Cláudia; a revelação de uma antiga relação amorosa entre Nazário, o vetusto feitor da vinha, e Virgínia, a tia solteirona, que provoca mesmo a intervenção de um “espetador”.

Transversal a todo o discurso é a saliência do papel e importância da Mulher na sociedade, que pretexta no final uma homenagem a “todas as Prazeres do mundo”.

“Histórias que DÃO para ver”, espetáculo promovido pela Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões, parte da produção “Contos de Baco”, exercício que antecedeu este projeto e que possibilitou explorar a dimensão ideológica e social do vinho. Nesta nova produção em escala ampliada, unem-se as linguagens das várias estruturas que integram a Rede Cultural Viseu Dão Lafões e alia-se o património imaterial a edifícios de importância cultural, resultando em cada um dos municípios num espetáculo único, com caraterísticas próprias e com forte envolvimento da comunidade.

Texto João Luís Oliva Encenação Paulo Duarte Cenografia, Adereços e Figurinos Ana Brum Direção Musical Rui Sousa Produção Teatro do Montemuro
Com a participação: Rede Cultural Viseu Dão Lafões: ACERT, Binaural/Nodar, Cine Clube de Viseu, Teatro Viritao/Companhia Paulo Ribeiro
Promotor Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões