HISTÓRIAS QUE DÃO PARA VER

REDE CULTURAL VISEU DÃO LAFÕES

—-

Texto João Luís Oliva Encenação Paulo Duarte

—-

PRÓXIMAS APRESENTAÇÕES:

08 e 09 Novembro 21h30 Nelas Mercado Municipal

—-

Sátão Biblioteca Municipal
[12 e 13 Abril de 2018]

Penalva do Castelo Parador Casa da Ínsua
[05 e 06 Abril de 2018 ]

Castro Daire Centro de Interpretação e Informação de Montemuro e Paiva
[29, 30 e 31 Março de 2018]

Mangualde Igreja da Misericórdia [22 e 23 Março de 2018]

Na festa de apresentação e prova de uma especial “reserva” da empresa A.M.S. Vinhos, Sara Pereira, a administradora, reencontra o seu especial amigo, Afonso, agora professor de Filosofia numa Universidade, mas “velho” conterrâneo.

Num fundo em que se encaram os aspetos relacionados com a produção vinícola na paisagem cultural onde a peça é apresentada, emerge a importância simbólica e mágica do vinho, bem como uma teia de afetos entre as personagens que, de forma direta ou indireta, intervêm na sua criação.

Transversal a todo o discurso é a saliência do papel e importância da Mulher na sociedade.

“Histórias que DÃO para ver”, espetáculo promovido pela Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões, parte da produção “Contos de Baco”, exercício que antecedeu este projeto e que possibilitou explorar a dimensão ideológica e social do vinho. Nesta nova produção em escala ampliada, unem-se as linguagens das várias estruturas que integram a Rede Cultural Viseu Dão Lafões e alia-se o património imaterial a edifícios de importância cultural, resultando em cada um dos municípios num espetáculo único, com características próprias e com forte envolvimento da comunidade.

Imagens de ensaios

—-

Texto João Luís Oliva
Encenação Paulo Duarte

Coreografia António Cabrita e São Castro
Narrativa sonora Binaural/Nodar
Vídeo Sofia Ferreira
Direção musical Rui Souza
Espaço cénico e figurinos Ana Brum
Desenho de luz Paulo Duarte

Interpretação
Abel Duarte, Beatriz Valentim, Eduardo Correia, Gonçalo Alegre, Ilda Teixeira, Raquel Costa, Rui Souza e Sandra Barreto
Carlos Cal,
Isabel Rodrigues(voz off) e Maria da Conceição Almeida
[Mangualde] Alice Fragoso, Ana Vale, Graça Augusto, Irene Ferreira, Isabel Bidarra, Isabel Sousa, Josefina Pinto, Madalena Albuquerque, Manuela Ferreira, Mary Suarez, Odete Lapa, Rosalina Almeida, Sandra Santos e Sara Diogo [Castro Daire] Angela Morgado, Beatriz Cardoso, Cátia Cardoso, Cláudia Silva, Georgina Ferreira, Helena Teixeira, Inês Pinto, Isabel Costa, Joana Sevivas, Lurdes Guerra, Manuela Rodrigues, Paula Gouveia, Paula Oliveira e Tatiana Almeida [Penalva do Castelo] Ana Santos, Ana Sofia, Andreia Romão, Elizabeth Cancelas, Fátima Soares, Gracinda Martins, Lucinda Gouveia, Luísa Lopes, Maria do Céu, Maria Fernandes, Maria Rebelo, Paula Salas, Rita Ferreira e Zilda Joaquim [Sátão] Alcina Sousa, Ana Chaves, Angela Bártolo, Fátima Almeida, Filipa Costa, Florbela Cunha, Inês Martins, Isabel Almeida, Manuela Lopes, Maria Miguel, Paula Pereira, Rosa Almeida, Sónia Saraiva e Virgínia Roque

Apoio à criação do espaço cénico Carlos Cal e Maria da Conceição Almeida 
Costureiras Capuchinhas CRL
Técnico de iluminação e som José Marques
Ilustração cartaz Helen Ainsworth 
Direção de cena Abel Duarte
Direção de produção e comunicação Paula Teixeira 
Assistência à produção e comunicação Guida Maria Rolo

Produção Teatro do Montemuro
Parceiros artísticos ACERT, Binaural/Nodar, Cine Clube de Viseu, Companhia Paulo Ribeiro/Teatro Viriato
Promotor Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões/Rede Cultural Viseu Dão Lafões

Agradecimento Mariano/Pintura – Taninos, Áudio Globo, Rádio Limite, Vouzelpastéis