A CIDADE E AS SERRAS, (NÃO É EÇA)

Novas Datas

MARÇO 27 e 28

Duração do Espectáculo

Apro. 60 minutos

Classificação Etária

M/6

Teatro de rua

SINOPSE

Terras de Sol Posto é uma aldeia no meio das serras onde Idalécio e Amândio são os únicos habitantes. Tratam das ovelhas, na realidade é só uma, pois as outras foram para a cidade em busca de uma vida melhor. Amândio é dono de uma oficina de automóveis e dinamiza uma rádio local, única ligação das aldeias enterradas no vale e onde o sinal de telemóvel e de televisão não chega.

Um dia chega às Terras de Sol Posto um empreendedor, com o objetivo de apresentar uma candidatura a fundos europeus para a criação de um lar de terceira idade na aldeia, que parece finalmente sair do marasmo e entrar diretamente no século XXI. No entanto, no dia seguinte, regressa à terra uma estudante empreendedora, com a intenção de criar uma mina de lítio no local, prometendo não o século XXI mas sim, saltar diretamente para o século XXII. Face ao inusitado interesse nas riquezas da região, chega por fim a comunicação social para dar eco aos sucessos das Terras de Sol Posto e ao futuro risonho que os espera.

EQUIPA
Cocriação Teatro do Montemuro e Teatro da Palmilha Dentada
Texto e Encenação Ricardo Alves
Cenografia e figurinos Sandra Neves
Música Carlos Adolfo
Interpretação Abel Duarte, Cristiana Sousa, Eduardo Correia, Ivo Bastos, Paulo Duarte, Rodrigo Santos
Desenho de Luz Paulo Duarte
Direção de Cena Abel Duarte
Direção Técnica Dário Pais, José Carlos
Assistência à construção de cenários e figurinos Carlos Cal, Maria Conceição Almeida
Produção Abel Duarte, Helena Fortuna, Sofia Macedo
Comunicação e Assistência à Produção Joana Miranda
Foto de Cena Júlio Eme
Coprodução Teatro Viriato

🖇️ DOSSIER