"Ventos da Discórdia"

Descrição, apresentação e fundamentação

Na arte barroca predominam as emoções e não o racionalismo. O estilo Barroco traduz uma tentativa de conciliar forças. No espetáculo que pretendemos criar, "Ventos da Discórdia", duas personagens procuram conciliar os interesses da construção. O arquiteto entra no espaço (ex. Igreja do Carmo) e analisa a obra, as alterações que teve de fazer com a necessidade de impressionar, baseando-se no principio que a fé deve ser atingida através dos sentidos e da emoção. Chama o Sr. Abade. Tentam concluir a obra. Se por um lado o arquitecto, num estilo barroco, procura efeitos decorativos e visuais, o Sr. Abade vê violentos contrastes de luz e "palermices " com as quais não concorda. Nesta luta de ideias haverá até lugar para um duelo de espadas. Um arquitecto que procura grandiosidade e um padre que vê na obra deste arquiteto "uma pérola imperfeita" permitem -nos reconhecer a história da arte barroca em Viseu. O projeto tem inicio na Igreja do Carmo, um dos maiores marcos da arquitetura barroca.

Caráter criativo, inovador e diferenciador

Valorização do património edificado religioso do concelho, como património "vivo". O projeto alia claramente a criação artística à promoção do turismo religioso, como uma nova estratégia de preservação e renovação dos mesmos. Espaços de culto que se reinventam. Articulação entre a criação teatral e a promoção da arquitetura barroca. Crescente integração destes espaços de culto na vida da cidade e de apropriação das populações, que o reconhecem, que o valorizam e que o protegem. O espaço cénico é o lugar na sua integridade e autenticidade. Participação do Grupo Coral de Abraveses como interpretes no projeto.
 

Objetivos culturais e artísticos

De forma imediata procuramos uma articulação entre a criação artística teatral, a música e a arquitetura barroca como mais uma estratégia de crescimento do turismo religioso; uma maior integração destes espaços nas comunidades, um olhar, um sentir diferente nestes espaços de culto. Descentralização das dinâmicas culturais para espaços de reconhecido valor turístico e arquitetónico mas diferenciador na apresentação de espetáculos; Re -invenção e valorização destes espaços de culto como património cultural por excelência; reconhecimento da expressividade da arte barroca no concelho; colaboração ativa no projeto de atores locais; Atratibilidade de públicos diferenciados. Dada a natureza do espaço de apresentação prevê -se uma crescente curiosidade que vai além dos públicos regulares destas dinâmicas; Atração de turistas não só ao espaço arquitetónico mas também ao projeto artístico.
 

Calendarização

30 de Setembro 2017- Estreia na Igreja do Carmo, 21h
1 de Outubro 2017 - Apresentação na Igreja de Abraveses, 16h
7 de Outubro 2017 - Apresentação na Igreja Matriz de Ranhados, 21h
8 de Outubro 2017 - Apresentação na Igreja de Couto de Cima, 16h


Apoio do Ministério da Cultura, Dgartes e do Coorganização do Município de Viseu através do programa de apoio VISEU TERCEIRO